terça-feira, 11 de julho de 2017

Alive, I'm Alive!


Passou mais um ano de Alive.
Mais um ano no Passeio Marítimo de Algés.
Mais uma banda do meu top5 para ver.

Lembram-se disto?

Pois bem, este Alive ainda foi mais especial.
Vi os Foo Fighters, morri de amor por eles. Foi um dos melhores concertos da minha vida. Só quem lá esteve percebe. O Dave não se limitou a cantar músicas. Entrou em palco e disse que o concerto ia ser fucking amazing. Falou com o público, disse piadas, desafiou... Pediu desculpa por não ter voltado antes a Portugal e o diálogo foi hilariante (ouçam abaixo) e depois de 1min. com toda a gente a cantar "e salta Dave, e salta Dave olé, olé!" eis que o Dave diz:

"I don't know what that means. (...) that's a new song, I like it! Well, that's the best song of all night..."



E de repente toda a gente grita: "Jump Dave, jump!! - e os músicos começam a entoar a música e o Dave saltar. 

O público ainda cantou mais 2/3 músicas que eles iam acompanhando com uns acordes.
Foram duas horas do melhor.
E o Mr. ainda me concedeu uma música nos seus ombros (coitadinho, que eu sou peso pesado). Imaginem eu, que meço 1.72m aos ombros dele, que mede 1.87m... Era a pessoa mais alta do recinto.


Aqui fica o concerto completo que passou na RTP1. Vou vê-lo quando tiver tempo. Vi só uma música e já fiquei em pulgas...

Mas o Alive teve mais coisas boas.
Para além dos concertos (para quem quer saber Depeche Mode desiludiu em relação à outra vez) aconteceram mais duas coisas engraçadas por lá.

Na primeira noite vi que a Andreia (uma seguidora aqui do blogue) também lá estava e comentei no IG dela. 
A história da Andreia é engraçada, porque há 2 anos quando fui de férias à Galé, ela mandou-me mensagem a dizer que era de lá perto e que se tivesse sabido com mais antecedência se teria encontrado comigo. No ano passado estivemos as duas no Alive não nos vimos. Então ficou acordado que seria este ano. E foi!
Combinamos na roulotte dos cachorros e ainda andava eu à procura do Mr. quando a Andreia aparece, com um grande sorriso! E que gira que ela é! (tenho as leitoras mais bonitas!) Fiz as perguntas da praxe, o que faz, quantos anos tem, de onde é... essas coisas, que isto de me conhecerem e eu não vos conhecer tem muito que se lhe diga! :P

Sabia também que um rapaz (do crossfit) que sigo e falo há quase dois anos no IG ia lá estar, então fomos mandando mensagem a dizer em que zona estávamos e se estivéssemos perto encontravamo-nos. E foi no 2º dia, já no final da noite, que fomos buscar cerveja bem perto um do outro e encontramo-nos. É estranho conhecermos uma pessoa sem nunca a termos visto. Mas é o que as redes sociais hoje fazem. E para quem está já a ser má língua, ficam a saber que apresentei o Mr. também.

Este foi o Alive em que transformei virtual em real.
Foi bom, foi genuíno e já ficou combinado com a Andreia avisar se voltar à Galé e com o Ricardo um treino com os Fhitunit às 7h da manhã...

frase cliché do Alive

3 comentários:

Love Adventure Happiness disse...

Toda a gente estava no Alive, foi a sensação que tive das minhas redes sociais.... ahahaah

N. disse...

Estava aqui a fazer contas e parece-me que a única vez que estive no Alive foi... em 2007!
Adorei o vídeo do Dave.
Em relação a toda a gente ter estado no Alive este ano, também tive a mesma sensação. E ainda vi alguém cheio de piada a vender "bilhete usado no Alive para quem não esteve lá poder fazer posts nas redes sociais."

L. das horas disse...

Eu conto 3 anos sem ir ao alive desde 2009... :D sou aficionada!
Eu vi muita gente conhecida mesmo, daqui de Lisboa, do norte... incrível!
Essa do bilhete é muito boa ahahah